Nutricionista alerta para os riscos do excesso na ingestão diária de proteínas e para a importância de consumir carboidratos

 

O consumo em excesso de proteínas pode causar problemas renais, como pedras nos rins, sobrecarga hepática e até sobrepeso

 

A ingestão de proteínas é fundamental para manter o bom funcionamento do corpo. Entretanto, em excesso, pode causar problemas renais, irritabilidade, aumento da gordura corporal e problemas hepáticos. Uma dieta com restrição de carboidratos pode ainda trazer graves consequências para o organismo.

Segundo o nutricionista e docente do Uniceplac, Edilson Nascimento, algumas pessoas recorrem a dietas restritivas à base de proteína para perder peso, ganhar massa magra ou melhorar o desempenho da musculação e até podem alcançar resultados positivos, entretanto, a dieta rica em proteínas a longo prazo traz resultados ruins, porque a carência de outros elementos, como o carboidrato, pode provocar a falta de energia e fraqueza e até favorecer o ganho de peso. O profissional alerta ainda que a alimentação hiperproteica só deve ser utilizada como estratégia nutricional para alcançar certo objetivo e nunca como estilo de vida.

O nutricionista destaca que os carboidratos são essenciais na alimentação equilibrada, pois são responsáveis pelas reservas de energia nos músculos. “Sua falta compromete o organismo, causando fadiga, cansaço e tonturas. Com a falta dos carboidratos, o corpo tende a converter gordura em energia, acarretando a liberação de corpos cetônicos (moléculas de energia produzidas pelo fígado a partir da quebra de gordura), que em altos níveis podem ser prejudiciais.”, explica. Além disso, devido ao alto consumo de proteínas ocorre o aumento da concentração de homocisteína, composto químico que eleva o risco de problemas cardiovasculares. Pode ocorrer ainda a queda de serotonina, levando a irritabilidade, ansiedade, depressão e insônia.

Os corpos cetônicos são moléculas de energia produzidas pelo fígado a partir da quebra de gordura. A produção dessas moléculas de quatro carbonos aumenta quando os níveis de insulina estão baixos e o hormônio glucagon está alto o suficiente (através do jejum ou da restrição de carboidratos, na Dieta Cetogênica).

De acordo com a OMS, o ideal é que pessoas que não praticam atividades físicas consumam diariamente entre 0,8 e 1 grama por quilo de peso. Por exemplo, uma pessoa de 50 kg deve consumir 50 gramas de proteína por dia. No caso de pessoas que praticam atividades físicas a quantidade varia de 1 a 2 gramas por quilo diariamente, dependendo da atividade e do tempo que praticam.