Como tratar transtorno de ansiedade com alimentação saudável

Hoje é o Dia da Saúde e Nutrição, e a aluna Fernanda rodrigues veio dar umas dicas de alimentação para quem tem ansiedade 

 

A pandemia do COVID-19 acarretou um aumento significativo no número de pessoas com transtorno de ansiedade. Esta patologia apresenta como sintomas, reações fisiológicas como taquicardia, falta de memória e atenção, sudorese, tontura, desespero, irritação, excesso de preocupação, falta de interação social, diminuição do rendimento profissional entre outros.

Segundo estudos, o estado de ansiedade tem relação com a alimentação inadequada. Devido ao período de confinamento, muitos se sentem mais estressados, e durante o estresse prolongado, o corpo libera cortisol, que aumenta a sensação de fome. Por isso, muitos excedem o consumo de proteínas, gordura e carboidratos.

Para auxiliar o tratamento do transtorno ansioso e equilibrar a alimentação é recomenda a ingestão de ácidos graxos essenciais, como o Ômega 3, que tem impacto significativo nas funções fisiológicas do organismo e é utilizado como mediador inflamatório. Os alimentos ricos em Ômega 3 são: óleos vegetais, oleaginosas, como a amêndoa e a castanha, frutos do mar, atum, anchova, carpa, arenque, salmão, sardinha, linhaça e cereais são recomendados em quantidades equilibradas.

Magnésio e vitaminas do complexo B também são recomendados, pois, auxiliam na reconstrução de tecidos, inclusive no cérebro e sistema nervoso. Castanha do pará, semente de gergelim, semente de linhaça, castanha de caju, amendoim e aveia são alimentos fonte de magnésio. E as vitaminas do complexo B devem ser obtidas através de alimentos como carnes, ovos, leite e derivados, cereais e grãos.